Ariéli Ziegler (Mtb: 18.114)

Pró-reitoria de Extensão da UFSM apresentou proposta que pretende articular iniciativa privada, poder público e sociedade em torno de uma cadeia de turismo entre os municípios do entorno de Santa Maria

Integrantes da Prefeitura de Santa Maria participaram de uma reunião, na manhã desta segunda-feira (9), na qual foi apresentado, de forma preliminar, o projeto “Polo de Geoturismo e Cultura: uma proposta de desenvolvimento para a região central do RS”. A ideia foi estruturada pela Pró-reitoria de Extensão (PRE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). No encontro, que ocorreu no Gabinete da Reitoria da UFSM, no campus de Camobi, além do prefeito Jorge Pozzobom e do vice Rodrigo Decimo, estavam o reitor da UFSM, Luciano Schuch, e a reitora do Instituto Federal Farroupilha (IFFar), Nídia Heringer, entre outros representantes dessas instituições. 

Conforme a apresentação, feita pelo pró-reitor Flavi Ferreira Lisboa Filho, o objetivo da iniciativa é estruturar e estimular uma cadeia turística entre os municípios da região central do Estado. O foco das ações será o turismo de natureza, de aventura, o ecoturismo, o turismo rural, o paleoturismo, e o turismo cultural, histórico e religioso. A universidade atuará como uma articuladora entre iniciativa privada, poder público e sociedade. 

Santa Maria foi colocada na explanação da UFSM como “a porta de entrada e conexão” para os territórios do Polo de Geoturismo e Cultura. O projeto contemplará, nesse primeiro momento, a região da Quarta Colônia de Imigração Italiana, Candelária, Caçapava do Sul e os municípios do projeto Raízes de Pedra (São Pedro do Sul, Mata, São Vicente do Sul, São Francisco de Assis, Jaguari e Nova Esperança do Sul). Os dois geoparques, da Quarta Colônia e de Caçapava do Sul, que já são aspirantes à certificação da Organização das Nações Unidades para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), estão inseridos dentro do polo como atrativos de destaque, além de fazerem parte do que foi chamado de “Etapa 1” do projeto. 

A “Etapa 2” consiste na inserção de Santa Maria, Candelária e dos municípios do Raízes de Pedra e na implementação de uma rota paleontológica entre as cidades. A “Etapa 3” está definida como a inclusão dos demais municípios adjacentes que compõem a Região Central. 

No que diz respeito à Santa Maria especificamente, os atrativos elencados foram a rede hoteleira e de alimentação, o Aeroporto, o Parque Natural Municipal dos Morros, o Sítio Paleontológico da Alemoa, o Distrito Criativo Centro-Gare, o patrimônio ferroviário, o Theatro Treze de Maio, o Centro de Convenções da UFSM, a Romaria de Nossa Senhora Medianeira, entre outros. 

A apresentação oficial do projeto do Polo de Geoturismo ocorrerá na reitoria do Instituto Federal Farroupilha, no Bairro Nossa Senhora das Dores, na próxima quinta-feira (12), à tarde, quando se reunirão prefeitos dos municípios da região e reitores de universidade gaúchas. A intenção é que exista uma mobilização conjunta para o desenvolvimento prático e interligado dos potenciais turísticos. 

“É um primeiro passo que tem de ser dado. Todos têm a ganhar. Estive em Curitiba na semana passada e pude conferir um trem turístico que existe lá, integrando as belezas naturais, a parte histórica, os restaurantes, as lojas, enfim, girando uma cadeira econômica. Temos condições de fazer muito mais aqui na nossa região”, afirmou, na reunião, o vice-prefeito Rodrigo Decimo. 

Também participaram do encontro a secretária de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ticiana Fontana, o secretário adjunto da pasta, Michel Kesseler, a vice-reitora da UFSM, Martha Adaime, a pró-reitora de Extensão substituta, Vera Vianna, a coordenadora de Desenvolvimento Regional e Cidadania da PRE da UFSM, Jaciele Sell, o diretor da Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (Agittec) da UFSM, Hélio Leães Hey, a reitora do Instituto Federal Farroupilha, Nídia Heringer, e a pró-reitora de Extensão do Instituto Federal Farroupilha, Angela Marinho. 

SEGUNDO TEMA

Após a discussão sobre a iniciativa turística, o grupo conversou sobre um projeto de revitalização do espaço onde fica o antigo “garajão” da UFSM, na Rua Astrogildo de Azevedo. A proposta inicial é que o local seja transformado em um ambiente de lazer aberto à população. Universidade e Prefeitura trabalharão juntas para viabilizar as intervenções necessárias na estrutura, desde projetos de obras até recursos orçamentários.

Texto: Rafael Favero (Mtb: 20.291) 
Fotos: Ariéli Ziegler (Mtb: 18.114)

Secretaria Extraordinária de Comunicação
Prefeitura Municipal de Santa Mariaa